Pesquisa e responsabilidade social

Todas as organizações precisam ter bem claro, para si e para seus empregados, o conceito de responsabilidade social. Devem ter consciência sobre os reais efeitos de sua atividade na sociedade e no meio ambiente, e de seus impactos nos planos local, regional e nacional.

As empresas estão convencidas de que seu papel se expandiu para incluir muito mais do que a mera produção de bens e serviços. Inicialmente por via de legislação federal e estadual, nos anos 80 e 90, as demandas sociais colocaram o cidadão e o cliente no centro das atenções. Hoje, para que as organizações possam cumprir de forma plena a sua missão institucional, é preciso responder às demandas de seus controladores, atender ao que delas esperam os cidadãos e, ainda, saber guiar-se e inserir-se em movimentos sociais legítimos. Não é mais suficiente apenas cumprir a lei: é preciso também adotar elevados padrões éticos e morais.

Desde o início da década de 90, a Embrapa tem desenvolvido ações para melhorar sua interação com os segmentos da sociedade brasileira. Suas 40 unidades descentralizadas, distribuídas em todo o Brasil, criaram conselhos de gestão que auxiliam na discussão dos planos diretores e na determinação das prioridades de pesquisa. Essas iniciativas culminaram com o novo estatuto da Empresa, em que o Conselho de Administração, instalado no final de 1997, tem a função de canalizar as visões dos diversos grupos sociais, auxiliando na definição de macropolíticas, e negociar os meios para implementá-las.

A Embrapa tem sido devotada a objetivos claros, definidos a partir da sua consciência de que a pesquisa agropecuária deve proporcionar ao País, além de divisas, as condições de gerar alimentos que atendam às necessidades de sua gente. De inserir, em definitivo, os produtores que atuam sob regime de agricultura familiar no processo produtivo. De promover o desenvolvimento socioeconômico rural comunitário. De gerar oportunidades de emprego, renda, educação e bem-estar para uma população, cuja dignidade social tem que ser prioridade absoluta.

Essa consciência está expressa em atitudes de seus empregados e em ações previstas nos seus projetos, descritas nesta publicação. O Balanço Social é um instrumento para que organizações comprometidas com a qualidade de vida da sociedade apresentem, em uma forma padrão, os seus investimentos na área. O da Embrapa não foge a isto. Adotando a metodologia do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas - Ibase, a Empresa publicou seu primeiro Balanço Social em 1998, relatando as atividades de 1997. No ano seguinte, em reconhecimento à parceria das diversas instituições nele citadas e ao seu papel de coordenadora do Sistema Nacional de Pesquisa Agropecuária, ela passou a chamá-lo de Balanço Social da Pesquisa Agropecuária Brasileira. Essa edição, relativa às atividades de 1998, recebeu o Prêmio Aberje 1999 da Região Centro-Oeste/Leste.

Graças a um esforço continuado, a Embrapa vem aperfeiçoando as metodologias de apuração das contas referentes ao Balanço Social, sobretudo os "Impactos das principais tecnologias desenvolvidas e transferidas para a sociedade".

Deles extraímos um conceito inovador, o do Lucro Social, que representa os benefícios gerados por algumas das tecnologias e dos produtos e serviços desenvolvidos pelas instituições de pesquisa e desenvolvimento, e incorporados ao sistema produtivo.

No Balanço Social da Pesquisa Agropecuária 2000, na página 115, em relação aos resultados obtidos apenas pela Embrapa, foi demonstrado um Lucro Social de R$ 7,72 bilhões, que equivale a mais de onze vezes o orçamento da Empresa, de R$ 666 milhões. Este é um dos melhores instrumentos para que administradores públicos e cidadãos possam avaliar a real importância, para o País, dos investimentos em pesquisa agropecuária e florestal.

Alberto Duque Portugal
Diretor-Presidente da Embrapa



Instituições do SNPA que participaram do Balanço Social da Pesquisa Agropecuária Brasileira 2000:

Agricultura Familiar
Reforma Agrária
Apoio Comunitário
Segurança Alimentar
Meio Ambiente e Educação Ambiental
Educação e Capacitação Profissional Externas
Educação e Capacitação Profissional Internas
Bem-estar, Saúde e Medicina do Trabalho
Impacto das Principais Tecnologias Desenvolvidas e Transferidas à Sociedade
Demonstrativos (Embrapa - Emepa - Emparn - Epamig - Pesagro-Rio)