Apoio Comunitário

Organizações socialmente responsáveis têm forte compromisso com a comunidade na qual estão inseridas. As Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário aplicaram R$ 5.373.823,00 em 1998, e têm trabalhado para disponibilizar conhecimentos e tecnologias que possam ser incorporadas por comunidades de pequenos agricultores, visando a melhorar sua qualidade de vida e possibilitar seu ingresso no agronegócio brasileiro.


Lavoura beneficia 20.000 no Pará

O Comitê de Ação da Cidadania Contra a Fome e a Miséria da Embrapa Arroz e Feijão, com apoio do Ministério da Previdência e Ação Social, da Fundação Nacional do Índio (Funai), do Sindicato Nacional dos Trabalhadores em Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário e Florestal (Sinpaf) e da Prefeitura de Redenção (PA), desenvolveu 250 hectares de lavoura comunitária de arroz, beneficiando 20.000 famílias carentes do sul do Pará. Ali foram produzidas 500 toneladas de arroz.


Horta comunitária em Rondônia

Em parceria com o Instituto Cultural e Educacional Espírita André Luís, a Embrapa Rondônia deu continuidade ao trabalho de demonstração de tecnologias de recuperação de solos degradados, produção de plantas medicinais, horta-comunitária, criação de minhocas e implantação de um consórcio agroflorestal. O projeto trouxe benefícios a 200 crianças entre dois e seis anos de idade, 60 adolescentes e 50 famílias carentes.


Produtores recebem 11 milhões de mudas

Cerca de 4.400 pequenos produtores rurais e suas famílias receberam mudas nas regiões de Alagoinhas, Bom Jesus da Lapa, Feira de Santana, Irecê, Itaberaba, Juazeiro, Ribeira do Pombal, Santa Maria da Vitória, Seabra, Teixeira de Freitas e Vitória da Conquista, na Bahia. Ao todo, foram distribuídas 11.879.540 mudas. Nessa iniciativa, estiveram reunidas a Embrapa, o Seagri, a EBDA, prefeituras municipais e associações de produtores. Sementes de qualidade superior foram distribuídas a pequenos agricultores. Para a safra de inverno/98, foram 1.392 toneladas de feijão e 587 toneladas de milho. Na safra de verão 1998/99, foram 700 toneladas de feijão, 350 de milho, 300 de vigna e 200 de algodão. A ação gerou 79.000 empregos diretos, na safra de inverno, e 94.666 na safra de verão.


Cabra nossa de cada dia

A Embrapa Caprinos, em parceria com a Paróquia de Nossa Senhora do Patrocínio, em Sobral (CE), criou o projeto Cabra Nossa de Cada Dia, que complementa, com leite de cabra, a alimentação de crianças de zero a cinco anos, das comunidades rurais. As cabras produzem, em média, 1 litro de leite por dia, suficiente para complementar a alimentação de uma criança. Estão sendo atendidas 250 famílias e 450 crianças, o que reduziu a mortalidade infantil, diminuiu a ocorrência de doenças comuns à infância (gripes, verminose e desnutrição, entre outras) e agregou valor aos animais e aos produtos derivados.


Menores de rua aprendem horticultura

A Emparn treinou meninos de rua de 30 famílias carentes, nos Municípios de Natal, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante e Macaíba, no Rio Grande do Norte visando a capacitá-los em horticultura e técnicas de enxertia, para que possam praticar uma atividade produtiva, garantindo emprego e renda.


Rio Grande do Norte monitora o clima

No Rio Grande do Norte, a Emparn realiza o monitoramento contínuo das condições meteorológicas, precipitações pluviométricas e dos estoques de água do estado, a fim de fornecer informações mais precisas sobre tempo, clima e recursos hídricos. O trabalho permite o planejamento antecipado de ações para convivência com adversidades climáticas. Isso gera benefício a toda sociedade local e às atividades que sofrem interferência direta das condições meteorológicas: agropecuária, gerenciamento de recursos hídricos, turismo e construção civil. A análise das condições meteorológicas também é feita por meio de imagens de satélite. O projeto envolveu o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), Emater-RN, as Secretarias de Recursos Hídricos e de Segurança Pública, e prefeituras municipais.


Amparo à criança é prioridade

Em Estância (SE), os empregados da Embrapa Tabuleiros Costeiros arrecadaram brinquedos e fizeram uma festa para 190 crianças das comunidades Araçás e Maravilha. No Rio de Janeiro (RJ), empregados da Embrapa Solos, Embrapa Agrobiologia, Embrapa Agroindústria de Alimentos e Pesagro-Rio arrecadaram 550 brinquedos e 500 quilos de alimentos para o Natal de 316 crianças, em três organizações de amparo à infância. Em Passo Fundo (RS), 270 crianças de seis instituições sociais receberam material escolar, móveis e utensílios para sala de aula, berços com colchões, roupas e revistas.


Agricultores e turistas livres de borrachudos

Desde 1994, na Região Serrana do Espírito Santo, a Embrapa desenvolve, junto com a Emcaper, um projeto de controle biológico de borrachudos. Os borrachudos não só atingem os habitantes da área rural, mas também prejudicam o agroturismo, que está em franco desenvolvimento na região. O projeto conta com um grande envolvimento das comunidades locais, beneficia mais de 5.000 pessoas e traz, como vantagens, o baixo custo da produção do inseticida e a não-agressão ao meio ambiente.


Mosquito é controlado no Sul

Em Santa Catarina, a Embrapa, em parceria com a Epagri, o Governo de Santa Catarina e prefeituras municipais, aplicou essa técnica em comunidades de 96 municípios de Santa Catarina, e um do Rio Grande do Sul (Bento Gonçalves), tendo conseguido reduzir significativamente a população de borrachudos. O trabalho possibilita o controle do inseto-praga, sem a utilização de produto biológico/químico. Foram envolvidas 24.373 famílias de 439 comunidades. Dessas, 169 apresentaram resultados, em 1998, com diminuição na população de insetos. A Embrapa Suínos e Aves realizou nove palestras em oito seminários/encontros regionais de controle do borrachudo, onde foram preparados 819 multiplicadores de informação (extensionistas rurais, professores, técnicos e líderes comunitários). O trabalho recebeu o Prêmio Embrapa de Excelência, em 1997.


Lavouras comunitárias alimentam 106.000 pessoas

Parceria da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Goiás (Emater-GO) com os Ministérios da Agricultura e do Abastecimento, e da Previdência e Assistência Social, as Federações da Agricultura e de Trabalhadores na Agricultura do Estado de Goiás (FAEG e Fetaeg) e as prefeituras municipais de 182 municípios goianos, permitiu a implantação de lavouras comunitárias de arroz, milho e feijão em 19.580 hectares, beneficiando 26.536 famílias. Foram atendidas 106.144 pessoas, com a produção de 33.406 toneladas de grãos. O compromisso da Emater-GO é estender essas lavouras a todos os municípios goianos.


Investimentos beneficiam pequenos agricultores

A Embrapa Arroz e Feijão, de Goiânia (GO), investiu em três projetos de desenvolvimento comunitário. O primeiro, em parceria com a Embrapa Sementes Básicas, Embrapa Milho e Sorgo, Embrapa Monitoramento por Satélite, Emater-GO, Universidade Federal de Santa Maria e as prefeituras e câmaras municipais de 18 municípios de Goiás, visava à produção comunitária de sementes de arroz, feijão e milho. O segundo, com os mesmos parceiros, mais o Centro de Apoio aos Minis e Pequenos Produtores, era sobre a reciclagem técnica de líderes comunitários, e condução de unidades demonstrativas e de observação de arroz, feijão e consórcio de milho verde com feijão. O terceiro projeto, de transferência de tecnologias para o projeto Lavoura Comunitária, foi liderado pela Emater-GO e a Prefeitura Municipal de Santo Antônio de Goiás.


Projeto dá apoio à extensão privada

A Empaer-MT criou um bem-sucedido projeto-piloto de privatização da assistência técnica e extensão rural comunitária, que atende 15 municípios do norte do estado. A experiência reuniu 2.632 produtores em 51 associações, e teve financiamento do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). Ela provocou mudança de comportamento das pessoas, que passaram a participar mais ativamente dos destinos de suas associações e seus municípios.


Prevenção de cheias da Bacia do Rio Paraguai

Um sistema que prevê enchentes com, no mínimo, dois meses de antecedência, desenvolvido pela Embrapa Pantanal em parceria com o Serviço de Sinalização Náutica do Oeste do 6º Distrito Naval da Marinha do Brasil, tem sido utilizado pela Defesa Civil do Estado de Mato Grosso do Sul e dos Municípios de Corumbá e Ladário, para a remoção da população ribeirinha. A ação tem auxiliado empresas públicas e privadas na realização de obras de engenharia no município de Corumbá. Além disso, ela vem ajudando os pecuaristas da região, no planejamento da movimentação dos rebanhos bovinos, das áreas sujeitas a inundação para locais mais altos. Em 1998 teve início o serviço de previsão do nível mínimo anual, para auxiliar nos serviços de navegação e nas obras civis em execução, e a serem executadas na região.


Apoio a soropositivos, doentes de AIDS e familiares

Em Campo Grande (MS), o Grupo de Apoio e Solidariedade Sul-matogrossense Ação e Prevenção a AIDS vem trabalhando para ampliar o acesso e melhorar a qualidade do diagnóstico, tratamento e da assistência aos portadores do HIV e a seus familiares. O Grupo conta com apoio do Promosul, CDDH, Universidade Católica Dom Bosco e do Ministério da Saúde, e beneficiou 150 famílias no ano de 1998. O trabalho dos empregados da Embrapa Gado de Corte recebeu o prêmio KZ, na categoria "mais mensagem entre Norte e Centro-Oeste", em 1996.


Controlada infestação de morcegos

Um pesquisador da Embrapa Gado de Corte orientou os trabalhos da Secretaria de Saúde do Mato Grosso do Sul, em parceria com o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), a Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (Uniderp) e a Universidade Estadual Paulista (Unesp), para reduzir o número de morcegos (quirópteros) na cidade de Campo Grande (MS). Mais de 85% das reclamações foram resolvidas pelos próprios moradores, com base nas recomendações prestadas pela equipe do CCZ.


Biblioteca comunitária para 40.000 pessoas

No recém-criado Município de Hortolândia (SP), uma parceria entre a Embrapa Meio Ambiente, Prefeitura Municipal, Faculdade de Administração e Ciências Contábeis de Hortolândia, associação comercial e industrial local (Aciah) e o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, deu origem, em junho de 1997, à biblioteca do Centro Comunitário da Vila de São Pedro. Além das 40.000 pessoas que moram nos bairros próximos, a biblioteca atende a comunidade de Hortolândia e dos municípios vizinhos, dispondo de um acervo de 9.000 livros.


Melhora o tratamento contra escorpiões

A campanha para melhoria do tratamento de vítimas de ataques de escorpiões no Município de Campo Grande (MS) foi orientada por um pesquisador da Embrapa Gado de Corte. Havia equívocos na identificação das espécies, o que levava ao tratamento inadequado das vítimas. Foi realizada uma campanha para divulgar recomendações preventivas e diminuir a incidência de escorpiões, especialmente nas escolas.


"Software" ajuda municípios a elaborarem plano diretor agrícola

Parceria da Embrapa Informática Agropecuária com o Instituto de Economia Agrícola, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, desenvolveu o Sistema de Suporte à Elaboração de Plano Diretor Agrícola Municipal – PDAM, que auxilia na coleta de informações. Concluída essa etapa, é possível analisar cenários e propostas para a agricultura do município. Em 1998, o projeto foi implantado no Município de Entre Rios de Minas (MG).


Força de trabalho na agropecuária brasileira

O Instituto de Economia Agrícola (IEA), a Unicamp e Fundação Seade desenvolvem projeto para estimar a demanda de força de trabalho na agropecuária brasileira. Como resultado da iniciativa, a Seade adotou uma nova metodologia e as Secretarias de Agricultura da Bahia e de Goiás iniciaram trabalho conjunto a fim de implantar estimativas nos respectivos Estados.


Imposto Territorial Rural para política ambiental

O IEA, Senar, a Cati, o Sindicato Rural de Amparo (SP) e a Sema realizaram estudos sobre a utilização do Imposto Territorial Rural como instrumento de política ambiental. O projeto apóia o planejamento governamental, beneficiando os formuladores de políticas e os proprietários que queiram utilizar os incentivos para a proteção ambiental embutidos no cálculo do ITR. Foram treinados diretamente cerca de 220 técnicos, dez alunos do curso de especialização do Núcleo de Economia Agrícola da Unicamp e 50 contadores/funcionários de sindicatos e proprietários de imóveis rurais.


Unidade de Irrigação em Assis

O Centro de Desenvolvimento do Vale do Paranapanema, o IAC, o IF e o IEA apóiam o Conselho de Desenvolvimento do Vale do Paranapanema na elaboração de um projeto técnico que visa à implantação de uma unidade experimental de irrigação na região. Iniciado em abril de 1998, o projeto já beneficiou 8091 famílias. A previsão de término é para junho de 1999.


Curso de monitores ambientais no Vale do Ribeira

O IEA desenvolveu projeto de capacitação da comunidade do Vale do Ribeira (SP) para o exercício das atividades de Ecoturismo, Educação Ambiental e apoio à pesquisa científica, buscando a construção de uma sociedade sustentável, com mais emprego e renda. A parceria com a Agenda de Ecoturismo para o Vale do Ribeira, o Centro de Estudos Ecológicos Gaia Ambiental, em conjunto com o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), a Fundação Florestal, o IF, a Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, prefeituras municipais e Ibama, já treinou 135 monitores ambientais, com a contratação de 47 monitores por dois meses no Projeto Parque Vivo.


Clorador permite que fazendas tenham água potável

A Embrapa Pecuária Sudeste desenvolveu um equipamento clorador para o tratamento de água em propriedades rurais, ou em comunidades urbanas desprovidas de água clorada. O clorador é constituído de material de PVC, disponível no mercado. Sua aplicação reduz doenças e melhora a qualidade da água. O equipamento recebeu a "Menção Honrosa" do Prêmio "Peão da Tecnologia -98", da Fundação Parque de Alta Tecnologia de São Carlos (ParqTec).


Controle da raiva animal no Rio de Janeiro

A Pesagro-Rio criou projeto para controlar a raiva animal no Estado, por meio do monitoramento, vacinação e controle da população de morcegos hematófagos. Em 1998, foram beneficiadas mais de 600 famílias. O projeto visa a conscientizar o pecuarista para a necessidade de realizar ações preventivas, como vacinar os animais contra a raiva. Como resultado, a raiva animal foi controlada nos Municípios de Aperibé e Itaperuna (RJ), tendo sido reduzidas as perdas econômicas decorrentes da morte de animais, em função da doença.


Epamig ensina a plantar hortaliças rústicas

Uma parceria entre a Epamig, a Agroflora/Sakata e 30 famílias das comunidades de Acauã e Leme do Prado, no Vale do Jequitinhonha, incentivou a produção de hortaliças rústicas, com adubação orgânica, para diversificar a alimentação e armazenar sementes para plantio futuro. Além da doação de sementes, foram ministrados cursos sobre formas de cultivo.


Produtos da pesquisa para 150 famílias carentes

Mediante um convênio com a Secretaria de Estado do Trabalho, da Assistência Social, e da Criança e do Adolescente, a Epamig distribuiu cestas básicas de arroz e feijão a 150 famílias carentes da região da Grande Belo Horizonte, resultado dos trabalhos de pesquisa da Empresa.


Horta Comunitária ajuda 220 famílias

A horta comunitária, nos bairros Morro Vermelho e Interlagos, recebe água do lago de uso múltiplo, criado pela Embrapa Milho e Sorgo, em parceria com a Prefeitura Municipal de Sete Lagoas (MG). O projeto gera renda para 220 famílias, e está sendo ampliado para os Municípios de Buritis e Araçuaí (MG). Os produtos são comercializados na feira e em domicílio.


Apoio a campos comunitários

Por meio de convênios com diversas prefeituras do Estado de Minas Gerais, a Epamig viabilizou a orientação técnica e a distribuição de sementes básicas de feijão, arroz e algodão, direcionadas à formação de campos comunitários de sementes em 40 municípios mineiros, beneficiando 4.000 pequenos produtores.


Milho mais produtivo substitui o do paiol

A Embrapa Milho e Sorgo desenvolveu o Programa de Produção de Sementes Selecionadas de Milho por Pequenas Comunidades Rurais, em parceria com a Emater-MG, prefeituras municipais e associações de produtores. Os objetivos são substituir a semente de paiol, de má qualidade genética, por sementes selecionadas, produzidas pela própria comunidade; capacitar e treinar a comunidade em tecnologia de produção, seleção, classificação e armazenamento das sementes de milho produzidas, e introduzir tecnologias de manejo cultural, para permitir o aumento da renda e do padrão de vida do pequeno produtor rural. Desde a sua criação, em 1995, o projeto já beneficiou mais de 4.000 pequenos produtores rurais de Minas Gerais.


Miniaçudes contêm enxurradas

Em conjunto com a Prefeitura de Sete Lagoas e a Emater-MG, a Embrapa Milho e Sorgo deu início ao Projeto-Piloto de Conservação de Solo e Água na Microbacia do Ribeirão Paiol, utilizando a tecnologia "Barragens de Contenção de Águas Superficiais de Chuvas". Foram implantados 1.000 miniaçudes, em 80 propriedades. O projeto tem impacto significativo, porque abranda secas e veranicos, garante águas nas cisternas e cacimbas, ameniza enchentes, reduz o assoreamento dos grandes lagos e permite ampliar o tempo de produção agrícola. Após os 11 treinamentos promovidos em todo o Estado, a tecnologia está sendo utilizada nos Municípios de Buritis e Paracatu (MG).


Sementes de milho para pequenos produtores

Por meio de um projeto cooperativo com a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná, em 1998, o Iapar distribuiu cerca de 23.000 sacas de 30 kg de sementes de milho de alta qualidade, de variedades desenvolvidas pelo Instituto. As sementes foram distribuídas a pequenos produtores ligados a associações de agricultores, assentamentos rurais, vilas rurais e reservas indígenas.


Piquete Cinco Cruzes

A Embrapa Pecuária Sul apóia a preservação da cultura regional gaúcha, cedendo transporte, locação e animais para as festas campeiras do projeto "Piquete Cinco Cruzes", que abrange seis municípios do Rio Grande do Sul. O objetivo do projeto, além de resgatar e manter a cultura regional, é promover e divulgar a preservação da ovelha crioula lanada. Estima-se que, em nove anos do projeto, 450 famílias já participaram.


Maricultura avança em Santa Catarina

A Epagri realizou um projeto de desenvolvimento de alternativas de produção e renda no meio pesqueiro, mediante o cultivo de mariscos, ostras e mexilhões - a maricultura. Foram beneficiadas 1.000 famílias de 13 municípios de Santa Catarina, sendo que a produção inicial de 150 toneladas, em 1990, aumentou para 8.000 toneladas em 1998. Essa foi uma parceria com a Fundação de Amparo à Tecnologia e ao Meio Ambiente (Fatma), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), o Departamento de Pesca e Aquicultura da Delegacia Estadual (M.A), Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), Departamento de Edificações e Obras Hidráulicas (Deoh), a Capitania dos Portos, Universidade do Vale do Itajaí (Univali) e o Ibama.


Participação em Conselhos

Por todo o Brasil, a Embrapa integra diversos grupos que geram benefícios aos estados e municípios. É o caso da Embrapa Trigo, que é membro ativo do Conselho de Desenvolvimento da Região da Produção (Condepro). Os trabalhos do Conselho beneficiam aproximadamente 500.000 habitantes de 34 municípios, apoiando ações de ciência e tecnologia para a região, e iniciativas para a educação ambiental.


Arborização Urbana

Em Passo Fundo, a Embrapa Trigo participa do Conselho de Arborização Urbana, instituído em 1998 e coordenado pela Prefeitura Municipal e pela Secretaria Municipal de Agricultura. O Conselho atua como órgão coordenador do Programa de Arborização Urbana do Município e beneficia uma população de aproximadamente 100.000 habitantes, em decorrência do aumento da qualidade de vida, resultante da arborização urbana.


Gestão Ambiental

O município de Passo Fundo tem um poderoso aliado na preservação de seu meio ambiente: o Grupo de Gestão Ambiental, coordenado pela Secretaria Municipal de Agricultura. Esse grupo é formado pela união, voluntária, de empresas e instituições, para ações consideradas imprescindíveis à saúde e à manutenção do meio ambiente, como a preservação do Arroio Miranda, principal fornecedor da água consumida em Passo Fundo. A Embrapa Trigo vem disponibilizando máquinas agrícolas para a limpeza da nascente e a perfuração de covas para plantio de árvores nativas no local. Em 1998, foram plantadas 1.000 árvores na nascente do Arroio Miranda.


Meio Ambiente

O Conselho Municipal de Meio Ambiente de Passo Fundo (RS) tem como objetivo assessorar o Poder Executivo em assuntos relacionados ao meio ambiente, visando a criar ações que excluam, ou, pelo menos, amenizem as agressões à natureza, apoiando e estimulando os diversos segmentos da sociedade municipal, no sentido de incorporar a dimensão ambiental em seus processos de planejamento.


Desenvolvimento da Vitivinicultura

A Embrapa Uva e Vinho está presente em diversos foros de decisão, como o Conselho de Desenvolvimento da Serra, os Conselhos Municipais de Agricultura, o Conselho Técnico Administrativo da Emater-RS, a Subcomissão de Vinicultura e a Comissão de Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul. Ela também participa da Coordenação do Cadastro Vitícola do Rio Grande do Sul, em parceria com o MA, a Secretaria da Agricultura, sindicatos dos trabalhadores rurais e entidades não-governamentais. Esse trabalho visa a obter informações detalhadas sobre os vinhedos, para organizar o setor e melhorar a qualidade dos produtos, a exemplo dos países tradicionalmente vitícolas.


Embrapianos ajudam flagelados da seca

Empregados da Embrapa Rondônia desenvolveram três ações de apoio comunitário: ajuda aos flagelados pela seca do Nordeste, aquisição de cestas básicas para doação a famílias carentes, e doação de 240 litros de leite às crianças dos trabalhadores sem-terra, de Rondônia.


Comida e remédios a 100 famílias

O Grupo de Apoio ao Próximo, da Embrapa Algodão, atendeu, com comida e remédios, a 100 famílias carentes de Campina Grande, Souza e Alagoa Nova, na Paraíba. A ação tem recebido apoio dos supermercados, onde são comprados os alimentos.


Sumário:

Agricultura Familiar
Reforma Agrária
Apoio Comunitário
Apoio a Comunidades Indígenas
Segurança Alimentar
Meio Ambiente e Educação Ambiental
Educação e Capacitação Profissional Externas
Educação e Capacitação Profissional Internas
Saúde, Segurança e Medicina do Trabalho
Impacto das Principais Tecnologias Desenvolvidas e Transferidas à Sociedade
Demonstrativos do Balanço Social (Embrapa - Emater-GO - Epamig - Emparn - Epagri)

 


Copyright © Embrapa. Todos os direitos reservados.