Reforma Agrária

Com o pressuposto, hoje aceito por todos, de que a Reforma Agrária não pode se limitar à distribuição de terras, as Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário, o Banco do Brasil, cooperativas e associações de assentados promoveram programas e ações para repassar tecnologias e dar assistência técnica a milhares de novos proprietários, em dezenas de assentamentos de reforma agrária, em todo o País. Com a aplicação de mais de R$ 14.757.658,75, os assentados, após os treinamentos, adotaram tecnologias compatíveis com suas realidades, o que levou ao aumento de produção, produtividade, nível de renda e diversificação da produção. Cooperativas e associações de produtores têm participado intensamente de todos esses projetos, evitando o paternalismo ou assistencialismo que, no passado, mostraram resultados negativos.


Treinamento ensina uso de insumos

Com apoio do Prodetab, a Embrapa Cerrados está treinando os técnicos que ministrarão cursos sobre planejamento e gestão participativa, a cerca de 6.000 produtores, filiados a 285 associações reunidas em 12 centrais, em 92 assentamentos de Goiás. Além da Embrapa Cerrados, participam a Contag, coordenadora do projeto, a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Goiás (Fetaeg), a Central de Associações de Pequenos Produtores Rurais do Município de Silvânia, e a Central de Associações de Pequenos Produtores Rurais do Município de Morrinhos.


Em 100 assentamentos, mais arroz e feijão

A Embrapa Arroz e Feijão, em parceria com o Incra, a Emater-GO e Universidade Federal de Santa Maria, vem treinando técnicos de assentamentos rurais e líderes comunitários de Goiás, para manejo das culturas de arroz, feijão e nin indiano, e para recuperação de pastagens degradadas. Serão beneficiadas mais de 2.000 famílias, em 100 assentamentos. Espera-se a obtenção de produtividade média superior a 1.800 kg/ha de arroz, 900 kg/ha de feijão, e o domínio do cultivo e da aplicação do nin indiano como inseticida natural, no controle da erosão e no reflorestamento.


Projeto apóia gestão de 35 assentamentos

A Embrapa Cerrados fornece assistência técnica para apoiar a gestão, organização, produção e comercialização a agricultores de 35 assentamentos dos municípios de Goiás, Minas Gerais e Distrito Federal por meio do Projeto Lumiar, desenvolvido pelo Incra.


Assistência técnica a 2.756 famílias de GO

Em Goiás, 2.756 famílias de 63 assentamentos, localizados em 24 municípios, receberam assistência técnica da Emater-GO, com apoio do Instituto de Desenvolvimento Agrário de Goiás (Idago), Incra, Banco do Brasil e da Fetaeg.


No MS, 3.700 agricultores aprendem tecnologias

A Embrapa Agropecuária Oeste, a Empaer-MS e 20 associações de produtores assentados iniciaram trabalho de transferência de tecnologias para sistemas de produção, dirigido a quase 3.700 agricultores, em 11 assentamentos, de seis municípios de Mato Grosso do Sul.


Capacitação de assentados em pecuária

A Embrapa Gado de Corte desenvolveu projeto de capacitação em tecnologia de pecuária de corte, para assentados do Mato Grosso do Sul. Foram treinados 12 representantes de assentamentos de sete municípios. Em parceria com o Incra, o projeto deverá treinar outros trabalhadores de assentamentos rurais.


Diagnóstico vê realidade de 600 famílias em MS

A Embrapa Agropecuária Oeste e a Empaer-MS estão realizando um diagnóstico da realidade de assentamentos rurais em Mato Grosso do Sul. O objetivo é avaliar os sistemas de produção em uso e implantar unidades de validação. O projeto já atingiu 600 famílias, em seis municípios.


Zoneamento geoambiental no Pantanal

Um total de 1.165 famílias dos assentamentos de reforma agrária dos Municípios de Corumbá e Ladário (MS) receberam orientação de uso e ocupação dos solos em atividades agropecuárias e proteção ambiental. Participaram a Embrapa, Empaer-MS, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e Universidade Federal de Viçosa.


Aumento de renda para 750 assentados

A Embrapa, em conjunto com o Incra e as Prefeituras de Tartarugalzinho e Pracuuba (AP) estão formando agentes multiplicadores para organizar a produção de 750 produtores de assentamentos, contribuindo para aumento de renda e maior ocupação da família nas atividades agrícolas, e tornando essas atividades econômica e ambientalmente sustentáveis.


Assentamentos têm menor impacto ambiental

A Embrapa Acre, em parceria com o Incra, a UFAC e Funtac, desenvolveu metodologia para o planejamento, a implantação e o monitoramento de projetos de assentamentos sustentáveis na Amazônia. No Município de Porto Acre (AC), 390 famílias foram beneficiadas com a elaboração do mapa de aptidão agrícola das áreas de assentamento, primeiro passo para o uso sustentável do solo, baseado em suas características de fertilidade, drenagem, suscetibilidade à erosão e possibilidades de mecanização. O modelo de assentamento permitirá reduzir o impacto ambiental, uma vez que a área passível de desmatamentos abrangerá, no máximo, 30% da área total do imóvel, e também a redução da ordem de 25% nos custos do assentamento.


Inventário define áreas para exploração florestal

A Embrapa Amazônia Oriental, juntamente com o Laboratório Ambiental do Tocantins (Lasat) e os Sindicatos Rurais de Itupiranga e de Marabá, realizou inventário florestal no Pará, visando à definição de áreas para exploração florestal sustentável, por parte dos assentados, para produção de madeira e de produtos agroflorestais.


Assistência a dez mil famílias do Tocantins

O Projeto Penha (Apoio ao Desenvolvimento em Áreas de Assentamento no Estado do Tocantins), desenvolvido em parceria com a Fundação Universidade do Tocantins (Unitins), ONG Alternativas para a Pequena Agricultura do Tocantins (APA-TO), Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Tocantins, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do Município do Peixe, das associações de pequenos produtores do assentamento Penha, Prefeituras Municipais de Peixe e Gurupi, da Secretaria de Agricultura, do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), Incra, da Embrapa e do Ciepac (ONG da França) atende 71 assentamentos de reforma agrária, onde vivem mais de dez mil famílias. Com o sucesso da iniciativa, espera-se a auto-suficiência da produção de alimentos no Estado do Tocantins e a geração de excedentes para as regiões vizinhas.


200 famílias aprendem sobre sistemas agroflorestais

A Embrapa Amazônia Ocidental, em parceria com o Incra, Idam, prefeituras municipais e associações de produtores, vem, desde 1993, difundindo, transferindo e viabilizando a adoção de conhecimentos sobre Sistemas Agroflorestais para pequenos produtores assentados nos projetos Iporá, Canoas, Juma, Acari, Monte e Uatumã, todos no Estado do Amazonas. Já foram implantadas dez Unidades Demonstrativas, com culturas de cupuaçu, mandioca, feijão caupi, abacaxi, banana, castanha-do-brasil, pupunha e ingá, beneficiando 200 famílias.


Amendoim é alternativa para 50.000 famílias

A Embrapa Algodão, o IPA, a Emater-PB e associações rurais estão difundindo, em Pernambuco e na Paraíba, uma nova cultivar de amendoim, de boa produtividade (média de 1.850 kg/ha) e tolerante à seca, como alternativa à produção nos assentamentos de reforma agrária. Cerca de 50.000 famílias estão sendo atendidas.


Assentados se unem e instalam minifábrica

Em seu sexto ano de atividades conjuntas, a Embrapa Agroindústria Tropical, a Secretaria do Desenvolvimento Rural do Ministério da Agricultura e do Abastecimento (SDR), o Incra, Banco do Nordeste, associações e cooperativas já beneficiaram 153 famílias de assentamentos de reforma agrária no Município de Itarema (CE). Os produtores formaram a Cooperativa de Produção Agropecuária de Lagoa do Mineiro (Copaglam), que produz mudas certificadas de cajueiro-anão precoce, obtidas a partir de treinamento e capacitação, o que elevou a produtividade e a renda dos agricultores. A cooperativa possui uma minifábrica de beneficiamento de castanha, pedúnculo e outras frutas, com tecnologia Embrapa. A Embrapa Agroindústria Tropical treinou 308 produtores em manejo de cajueiro-anão precoce, em assentamentos de seis municípios do Ceará e um do Piauí.


Melhora a criação de animais de 1.050 famílias

No Ceará, agricultores de 12 assentamentos estão recebendo treinamento para aumentar o volume e o armazenamento de forrageiras, durante o período seco. Com isso, a criação de caprinos e ovinos torna-se mais produtiva e rentável. O programa atende 1.050 famílias, sendo executado pela Embrapa Caprinos, Secretaria de Ação Social do Ceará, pelo Incra e cooperativas.


Assentados recebem 8.580 mudas de frutas

As 1.850 famílias instaladas em assentamentos ou áreas comunitárias do Ceará (oito municípios), Maranhão (dois municípios), da Paraíba (13 municípios), do Rio Grande do Norte (cinco municípios) e Piauí (um município) receberam 8.580 mudas de cajueiro-anão precoce, manga, ata, graviola, sapoti, umbu, pitanga e goiaba, para formação de Unidades Demonstrativas. Os assentados foram orientados quanto à produção de mudas de qualidade e a técnicas de plantio. A ação foi executada pela Embrapa Agroindústria Tropical, pelo Incra, associações e cooperativas. A Cooperativa de Produção Agropecuária de Lagoa do Mineiro, terceira produtora de mudas de cajueiro-anão em todo o País, entregou aos assentados 60.000 mudas enxertadas a partir de material fornecido pela Embrapa.


Frutas diversificam produção

A Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical, EBDA, Prefeitura Municipal de Itiúba, associações e cooperativas, com recursos provenientes do Banco Mundial, estão repassando técnicas, sementes de alta qualidade e insumos a 48 famílias de assentados da Bahia, diversificando a produção com limão, abacaxi, acerola, banana, mamão, maracujá, milho, intercalados com culturas de subsistência de milho, feijão, amendoim, batata-doce, inhame e mandioca, além de animais. O método participativo, com ênfase no "aprender fazendo", e os bons resultados para os colonos, levaram o projeto a receber três prêmios: "Agricultura Real", promovido pelo Ministério da Agricultura e do Abastecimento; Destaque no Prêmio Herbert de Souza, de Combate à Fome e à Miséria, promovido pela ANABB - Banco do Brasil; Destaque como "Experiência Inovadora", pelo Programa Comunidade Solidária/Ibam/Ipea.


Tecnologias chegam a 4.215 agricultores da BA

Tecnologias e novos métodos de produção e de elaboração de projetos de investimento e de custeio estão chegando a 4.215 agricultores, em 58 municípios da Bahia, por meio da assistência técnica dirigida a áreas de assentamento, executada pela EBDA e pelo Incra.


Água é tratada nos assentamentos

Tratamento de água e fornecimento de água potável beneficiaram quase nove mil famílias de assentados da reforma agrária, em 19 municípios da Bahia, por meio de ações executadas pela EBDA, em parceria com o Comunidade Solidária, Incra, Fundo Nacional de Saúde, governo da Bahia, CERB, prefeituras, associações de agricultores assentados e a Bayer do Brasil.


Assentados produzem mais sementes

A Epamig e a Emater-MG desenvolveram um programa voltado para produção coletiva de sementes, em assentamentos de Minas Gerais. Com o treinamento e a transferência de materiais genéticos de alta qualidade, de feijão, arroz e algodão, 250 famílias rurais foram beneficiadas em 1998.


Reuniões abordam verticalização da produção

A Embrapa Agroindústria de Alimentos, em parceria com o Incra, Projeto Lumiar, a Pesagro-Rio, o Sebrae, Pronaf, a UFRRJ, Pró Natura, Fetag, Idaco e Multicop, realizou cinco reuniões no último semestre de 98, no Rio de Janeiro e em Fortaleza, com o objetivo de transferir tecnologias agroindustriais para técnicos de assentamentos. As reuniões exploraram o tema "verticalização da produção nos assentamentos".


Sementes melhoradas para 21 comunidades do PR

A Embrapa Milho e Sogro, em parceria com a Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel), prefeituras municipais, a Cooperiguaçu e Associação de Desenvolvimento dos Reassentados e Atingidos pela Barragem de Salto Caxias (Aderabi), vem viabilizando a produção de sementes melhoradas de milho para 3.715 pessoas de 21 pequenas comunidades, em nove municípios do Estado do Paraná. O objetivo é promover o desenvolvimento rural e a auto-sustentação das famílias de produtores rurais atingidas por inundações provocadas pela construção da barragem de Salto Caxias, no sudoeste do Paraná.


Assessoria e apoio a famílias reassentadas

Tendo em vista as dificuldades tecnológicas dos agricultores reassentados pela Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel) em função da construção de hidrelétricas, o Iapar firmou convênio com a Cooperativa Iguaçu de Prestação de Serviços, e vem prestando assessoria e treinamento às famílias de produtores reassentados, promovendo a identificação, o desenvolvimento, a validação e implantação de sistemas de produção sustentáveis.


Qualidade no artesanato de lã crua

Em Bagé (RS), uma parceria da Embrapa Pecuária Sul com a Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social criou o Programa de Aproveitamento Artesanal de Lãs Indesejáveis para a Indústria Têxtil. A iniciativa resgatou o tradicional artesanato de lã crua no Estado, que havia caído no esquecimento, e agregou renda a famílias de trabalhadores rurais assentados.


Empregados apóiam assentados

Empregados da Embrapa Agrobiologia e da Pesagro-Rio criaram Comitê de Apoio à Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida, e prestam assessoria a assentamentos de reforma agrária, em produção, gerência e transformação de produtos, buscando formas de verticalizar a produção, agregar valor e gerar mais renda.


Sumário:

Agricultura Familiar
Reforma Agrária
Apoio Comunitário
Apoio a Comunidades Indígenas
Segurança Alimentar
Meio Ambiente e Educação Ambiental
Educação e Capacitação Profissional Externas
Educação e Capacitação Profissional Internas
Saúde, Segurança e Medicina do Trabalho
Impacto das Principais Tecnologias Desenvolvidas e Transferidas à Sociedade
Demonstrativos do Balanço Social (Embrapa - Emater-GO - Epamig - Emparn - Epagri)

 


Copyright © Embrapa. Todos os direitos reservados.